, , , ,

O envelhecer, o desencanto, o tempo, o nada

 “Não se pode escrever nada com indiferença”.

Assim é Simone de Beauvoir em todas as suas obras.  A escritora francesa confirma a sua própria máxima na obra “Mal-entendido em Moscou”. O texto foi escrito entre 1966 e 1967, após Simone e seu companheiro, o filósofo existencialista francês Jean-Paul Sartre, visitarem a capital da então União Soviética. A princípio, a novela faria parte do conceituado “Mulher Desiludida”, mas na última hora foi substituída pelo texto “A idade da discrição”.

Leia mais