Qual o perfil do profissional de comunicação que você busca?

A competição em mercados cada vez mais complexos exigiu mudanças radicais na Comunicação das organizações, não havendo mais espaço para a mentalidade tradicional. Essas transformações influenciaram diretamente nos objetivos, na missão, nos valores e nos processos operacionais e comerciais das instituições. Ou seja: ou muda, ou morre. O novo formato de comunicação, que considera diferentes públicos e, consequentemente, novas regras para comunicar as informações das instituições, começa a ser desenhado a partir da mudança no cenário político, econômico e social das grandes organizações, que teve início após a denúncia de inúmeros escândalos financeiros.

Diante desses fatos e para atender as exigências desse mercado, as organizações, então, adoraram nova medidas, com destaque para a Governança Corporativa, que defende a transparência de gestão administrativa, influenciando diretamente no formato da informação das práticas das organizações, forçando as empresas a repensar as estratégias de Comunicação.

Dessa forma, a Comunicação deixa de ser apenas um simples instrumento gerencial para transmissão de ordens internas e informações do dia a dia e torna-se detentora de um papel estratégico na aproximação e integração dos diferentes públicos com a empresa.

Paralelamente às mudanças políticas e econômicas, surgem novos canais de Comunicação, que revolucionaram a forma e transmissão da informação. Destaque para a Internet e redes socias, que abriram um campo novo e ágil para a disseminação da informação. Conhecer seu público, linguagem e efeitos no negócio são alicerces importantes para a gestão dos novos canais. E, acima de tudo, é preciso saber avaliar a velocidade com que a informação inserida nessas ferramentas chega aos diferentes públicos. O professor Wilson da Costa Bueno há mais de dez anos já disse:  “A Internet pode contribuir para que empresas e entidades abram novos canais de Comunicação com os seus públicos de interesse. Quem souber utilizá-la bem, usufruirá, com certeza de uma vantagem competitiva. No mundo globalizado poderá ser uma questão de sobrevivência”.

Esse novo cenário socioeconômico, a obrigatoriedade na transparência da informação e o conhecimento de novas tecnologias provocou mudanças na atuação do profissional de Comunicação que atua na área corporativa e/ou associativa, que passou a se relacionar, diariamente, com diferentes públicos com interesses de informação distintos.

Ao elaborar as estratégias de divulgação das informações, o profissional de Comunicação deve ter conhecimento em diversas ciências: Antropologia, Economia, Tecnologia, Administração, Sociologia, Política, Direito, entre outras, além de dominar as novas ferramentas de Comunicação que estão à disposição desde o fenômeno da globalização.

Surge, assim, a necessidade de um profissional de Comunicação capaz de superar novos desafios, principalmente no que se refere à formação e constante aprimoramento, porque sua atuação, diante do novo quadro, foi ampliada e as estratégias por ele traçadas para a divulgação de notícias e ações das organizações influenciam nos resultados dos negócios.

O que as empresas buscam – A missão da área de Comunicação Corporativa é informar com qualidade, conteúdo e transparência e, para isso, as empresas buscam um profissional (ou assessora contratado) de Comunicação com um novo perfil. A cada dia, empresas de diferentes segmentos passam a implantar novas formas de gestão da informação, utilizando diferentes ferramentas e/ou canais de Comunicação para conversar com os seus públicos.

A nova estrutura de Comunicação adotada pelas organizações contempla as mudanças que o mercado socioeconômico vem sofrendo ao longo dos últimos anos, por isso, muitas empresas acreditam que preparo intelectual, boa redação, excelente capacidade analítica, visão de negócio de longo prazo não são exclusivas da formação de Comunicação.

A importância desse departamento, em empresas que usam a Comunicação como ferramenta estratégica, cresceu tanto nos últimos anos, que alguns organogramas apresentam a área ligada diretamente à presidência. Dessa forma, os profissionais que atuam nesse setor em uma organização, com esse formato de estrutura, estão inseridos no planejamento estratégico e contribuindo diretamente no resultado do negócio. Surge, assim, a real necessidade de um profissional de Comunicação capaz de gerar informações que atendam às necessidades dos diferentes públicos com os quais as organizações conversam, para solidificar a imagem da empresa e, assim, influenciar positivamente nos resultados do negócio.

A sinergia, a transparência e a pró-atividade instituem-se em atributos básicos de uma política de Comunicação Empresarial e passam a regular as ações desenvolvidas junto ao mercado. A fragmentação das atividades de Comunicação (relações públicas, assessoria de imprensa, identidade visual, edição de publicações etc) é, de pronto, substituída por uma nova perspectiva, fundada no planejamento e na integração.

O profissional de comunicação, diante desse cenário, não deve apenas se fixar nos conhecimentos de seu curso de formação. Deve, por exemplo, aprimorar-se em todas as vertentes. O jornalista tem que entender das técnicas de relações públicas, que, por sua vez, também precisa ter conhecimento de publicidade e propaganda, e esse deve saber avaliar a melhor linguagem em um texto jornalístico. Enfim, hoje o bom profissional de Comunicação é o que apresenta em seu perfil total conhecimento em todas as áreas da sua formação e em outras ciências.

Os critérios que as organizações usam para definir o perfil mais adequado desse profissional, que deve atender ao novo modelo de gestão de informação, avaliam não só o título acadêmico, mas se a formação proporcionada por esse título traz em sua grade conhecimentos para compor o perfil do profissional desejado.

As organizações buscam um novo profissional de Comunicação que tenha sólidos conhecimentos nas áreas financeira, administrativa, logística, entre outras, para ter entendimento sobre todos os setores que compõem a atividade da empresa na qual atua

Diante desse quadro, os profissionais de Comunicação na ativa têm que se renovar e os que iniciam a carreira devem aprimorar o conhecimento adquirido nos bancos universitários. É preciso entender de economia mundial, de tendências de negócios e conhecer os desafios que devem superar em sua trajetória na empresa.

É certo que a formação do profissional de Comunicação que atua nas organizações é peça importante para a definição do perfil que as empresas buscam. Isso porque as organizações estão focadas em profissionais que reúnam as características e conhecimentos necessários para atender às novas demandas.

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *